14 mar 12 – 2012 – Estamos próximos de altas nos ciclos solares 16, 24, 78, 150 e 8000 anos: um super desastre da natureza?

As manifestações solares tem sido muito intensas nos últimos meses, mas nada que não tivesse em análise pelos cientistas há décadas. Porém, é importante identificar mais claramente quais os ciclos e em quais deles estamos atravessando próximos das máximas, e em que períodos também, e qual o tamanho do risco à vida humana.

No momento estamos conforme os cientistas afirmam chegando próximo do pico do ciclo 24, com variações de máximas entre 2012 a 2014.

Anteriormente lia-se muito que estávamos no cliclo também de máximas a cada 78 anos e há ainda um outro ciclo de 150 anos cujas máximas igualmente ocorre neste período, provável até 2016. Contudo, não há cálculos precisos e acho que nem haverá com muita certeza probabilisticamente. Não dá para precisar quando o Sol se manifesta com mais explosões e em que nível, apenas dá para estudar certos períodos no passado em que ocorreram manifestações solares mais intensas e classificar em ciclos que se repetem ao que sabemos.

Por que os ciclos se repetem? Não sei se os cientistas sabem responder, embora acreditem mesmo nos ciclos, mas o esoterismo tem afirmado que tudo no Universo, desde a primeiras criação, desde o primeiro sopro da criação, desde a primeira geração de raios arquetipais, tudo está inexoravelmente ligado a ciclos e repetições macros e micros também.

Seja como for isto ainda é muito complexo para o nosso entendimento e creio que muito mais saberemos somente dentro de alguns séculos a frente.

Mas os ciclos existem de fato, seja antropológico, social, cultural ou forças da natureza, como o nosso Sol e suas inúmeras manifestações nas ondas de vida, maiores ou menores.

O ciclo 24 é fato e o que ocorre neste momento apenas comprova que as previsões científicas estão corretas. Há um ponto de interrogação quanto ao ciclo 150 que estaria relacionado ao grande evento “Carrington” quando uma super tempestade solar queimou todas as cablagens em várias cidades dos EUA e Canadá, bem como teria provocado grandes incêndios em florestas no ano de 1859. Neste ciclo grande há uma previsão de máximo em 2013. Será? Então coincide com o ciclo 24 e menos intensamente com ciclos menores.

Certo ou não, já há alguns anos temos visto um aumento alarmante da intensidade dos raios UV sobre o nosso Planeta, especialmente na zona equatorial e mais ainda sobre a América do Sul.

Se consultarmos o histórico der raios UV na nossa civilização e principalmente na região norte planetária, veremos que mesmo no verão tais índices de UV não chega a ultrapassar a 7, sendo considerado normal 3 ou 4, o que ainda é o que acontece por exemplo na Europa.

Abaixo de indice 7 (numa escala que vai até 13 teoricamente) há certos riscos a pele humana, sendo recomendado o fator de proteção 30.

Ocorre que no Brasil há anos estamos enfrentando índices acima de 9, chegando a 11 a 13, nível crítico, nas últimas semanas. Mesmo que a população utilizasse fatores de proteção 60, ainda assim será pouco.

Na pesquisa médica indica-se que este elevado índice de UV é fator elevadíssimo para causar canceres de pele cuja incidência cresceu muito na última década.

A super incidência de raios UV nocivos nestes níveis máximos muito provavelmente está ligado também ao enfraquecimento do campo magnético que apresenta inúmeras “rachaduras” ou falhas gigantestas como a que ocorre hoje sobre o Atlantico Sul, mais especificamente sobre o Brasil e o Continente Africano, denominada de Anomalia do Atlantico Sul.

Também deve estar colaborando muito o aumento terrível das atividades solares como a NASA tem provado e acompanhado diariamente, buscando monitorar e alertar os governos para avisos à população também.

Nisto, já em 2004, o Instituto Max Planck renomado em pesquisas Astronomia e Astrofísica, havia alertado que estamos passando um período de alta solar, a maior que enfrentamos desde a 8 mil anos atrás! Como se chegou a este resultado? Estudando os isótopos radioativos de árvores que estavam vivas naquela época. Foi um ótimo estudo científico e irrefutável.

Portanto, segundo o Instituto alemão, estamos num ciclo também de 8 mil anos aproximadamente e que as máximas vem num crescendo há 60 anos e que este ciclo ainda se manterá e perdurará em máximas por mais algumas décadas. Esperamos que o seu máximo ocorra ainda neste século.

O Instituto afirma que o período após 1940 é o maior em radiação solar desde há 8 mil anos atrás. Impressionante.

Daí, com base nestes estudos da NASA e Inst. Max Planck, ass erupções solares, oss raios UV, as emissões de partículas solares, as tempestades magnéticas e as grandes erupções de CME (ejeção de massa coronal) ainda vão continuar em atividade de grande para moderada por ainda algumas décadas.

Vale sempre lembrar que índices de UV acima de 7 são extremamente nocivos à vida humana, então imagina no caso do Brasil onde esta incidência chegar muitos meses a ficar acima de 11.

E ainda temos que entender que o Sol e suas emanações tanto para a vida quanto para a morte tem relação direta com tudo que acontece aqui, não somente a seres humanos, mas vida mineral, vegetal e animal também. E que também, estas CMEs e Tempestades magnéticas tem tudo a haver com a seca, inundações, vendavais, tufões, vulcões, e terremotos. E pode piorar se tornando um acelerador do aquecimento global que provoca já secas em áreas plantadas que já afetam hoje a produtividade em quase 20% a menos  em alguns países grandes produtores de alimento.

Se isto ainda vair mesmo durar décadas, quais serão as consequências futuras também em décadas? Quais grandes mudanças geo-políticas-econômicas serão geradas neste período? Enfrentaremos nos próximos séculos situações gravíssimas que podem dizimar com boa parte da população humana?

Temos muitas perguntas que provavelmente veremos respondidas ao vivo a a côres.

Quem viver verá.

Por Atama Moriya em 14-março-2012.

http://science.nasa.gov/science-news/science-at-nasa/2009/29may_noaaprediction/

http://www.mpg.de/495993/pressRelease20041028

Anúncios
Esse post foi publicado em "2012" - Fim de um ciclo, Brasil-Líder do Milênio, Crise econômica, Desafios da Humanidade, Global Warming e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para 14 mar 12 – 2012 – Estamos próximos de altas nos ciclos solares 16, 24, 78, 150 e 8000 anos: um super desastre da natureza?

  1. João Lindoso disse:

    Costumo e gosto de assistir aos canais History channel, Discovery channel e National Geografic, e posso dizer que tudo o que li no texto acima é a mais pura verdade. Infelizmente a grande mídia não dá bola, pois, acha que não dá audiência. O que vale são os BBB’s da vida. Acredito que se a população for alertada aos poucos seria muito melhor do que ficar sofrendo as consequências por décadas depois. Que Deus nos ajude e nos proteja.

  2. Adriano disse:

    Bom dia meu amigo,

    Cadê o Governo e a mídia para dizer isso?
    Acho que estão escondendo para a população ser mesmo é dizimada!

    “Fiquem sentados pessoal para ver o que irá acontecer” – essa é atitude do governo para não criar panico
    Um abraço

Opte por deixar comentários claros, concisos, compreensíveis e racionais. Evite palavrões, palavras ásperas e críticas/ofensas a outras pessoas. Lembre-se que este blog é muito lido por menores de idade. Por favor, deixe bons exemplos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s