03 out 11 – Perturbações e desastres em 2011 devem continuar nestes três últimos meses do ano e devem continuar mais fortes nos próximos meses

Se analisarmos apenas os últimos doze meses, desde outubro de 2010 para outubro de 2011 que se inicia veremos que grandes acontecimentos na nossa humanidade estão em uma crescente.

Tais acontecimentos somados transformaram o mundo, afinal foram os maiores em tão curto espaço de tempo dos últimos 200 anos. Não se pretende comparar o período de1900 a1950, onde tivemos duas grandes guerras mundiais, mas analisar que em apenas um ano tivemos vários e estupendos acontecimentos que estão a transformar o mundo abruptamente.

Na época das grandes guerras mundiais a humanidade teve décadas para assimilar as mudanças culturais e sociais que sobrevieram principalmente do culturalismo americano, das influências do “american way life” que predominaram politicamente, economicamente, artisticamente e socialmente.

Hoje estamos sem tempo, num tempo que parece mesmo passar muito rápido, de sequer acompanhar tantos e tantos acontecimentos extraordinários quase que simultaneamente.

Aquele que leu e acompanhou as leituras deste blog deve ter observado que há uma concatenação lógica de todos os acontecimentos desde 2008 e que isto vai resultar na maior transformação da humanidade em toda a história e em todos os campos das ciências, todas as ciências estão a reavaliar seus velhos conceitos e absorver novos que surgem diariamente.

Nada mais será como antes se pensava e se tinha certeza. Não há certeza nenhuma em vigor neste momento. Todos os conceitos de vida, de política, de economia, de física, de matemática, de astronomia, de astrologia, de psicologia, de leis e costumes, de lógicas, de militarização, de geopolítica, tudo enfim está mudando e forçando o homem a repensar tudo a seu próprio respeito e o conceito de sociedade passa a ser fortemente questionado.

De importante ressaltar neste breve texto para todos possam repensar:

a) há uma grave crise política em curso, na maioria dos países e os líderes políticos estão sendo duramente provados em seus conceitos e comportamentos perante seus povos. Político é político no mundo inteiro e se comporta da mesma maneira ridícula em qualquer lugar do mundo. Ele quando se elege passa a se comportar como uma entidade completamente divorciada do povo, um terceiro que as vezes se pensa como governo, as vezes se pensa como do povo, mas muito distante deste e de seu anseios e sofrimentos. É uma entidade que não sabemos o que pensa e para onde vai.

Obviamente isto não vai perdurar tantos anos mais, e basta ver que os protestos populares estão numa crescente também, e vem a ocupar um espaço que no sistema político deveria ser dos políticos, do legislativo.

O comportamento acéfalo e ignóbil do legislativo nos países durante décadas resultou numa construção falha do sistema político, e isto após décadas de conspurcação, de conluios, de corrupções nos trouxe somente estruturas falidas na sociedade, em todos os campos, e daí que a crise econômica é apenas uma das facetas deste desvario.

O povo, a sua grande população empobreceu nestes últimos 50 anos, viu cada dia mais distante os ideais de justiça social, e equidade econômica. A par disto, do outro lado da moeda, uma pequena camada social se enriqueceu absurdamente em todos os países também, em níveis inimagináveis até hoje e pegando uma carona os políticos de carreira.

Sistemas políticos e sociais, juntamente com leis e regulamentações foram criados exclusivamente para atender a uma minoria que se enriquecia e tudo sob a égide de que isto era absolutamente normal, aceitável, correto, legal, justo e isto representava verdadeiramente a liberdade e justiça social do grande capitalismo de competição onde os mais fortes, os mais espertos, os mais preparados tendem a vencer em detrimento dos demais. Um dos mais falsos paradigmas de vida vendido no após 2ª. guerra mundial e que finalmente passa a ser duramente questionado por pensadores modernos e ativistas políticos no mundo inteiro.

Venderam uma banana aos macacos e os macacos a comeram. Sem pensar.

O mundo é simbiótico em todos os sentidos, seja do homem com a natureza, a natureza com o homem, o homem na sociedade, a sociedade com outros homens e os homens com outros homens também e principalmente.

Politicamente houve a sustentação e o apoio da ignorância humana no egoísmo e de fazer todos crerem que nada mais justo e libertário no mundo que enriquecer cerca de 3% da população mundial a ponto destes deterem 90% de todas as riquezas mundiais.

Tudo que segue no caminho inverso da equidade sobre a qual o Universo trabalha em suas leis naturais vai totalmente contra as leis da evolução e, portanto, mais dia ou menos dia vai cair por terra.

Somente se guiando nos princípios da equidade, mesmo que uma busca infindável, é o único caminho que poderá trazer à sociedade e aos indivíduos satisfação, felicidade, justiça social, econômica e progresso humano.

O homem de hoje não é feliz, e nem poderia ser com tanta miséria a sua volta. O Homem hoje tem de se entender UNIVERSAL e não apenas um indivíduo isolado alheio ao mundo que o cerca porquanto falta ainda absorver um importante conceito de que ele é produto de uma sociedade como um todo e ele é SIMBIÓTICO com relação a todos os demais indivíduos do planeta Terra. Ninguém é uma ilha, vive por si só, e não depende de nada e de ninguém.

A comida que ele come vem de algum lugar da Tailândia, da China, do agreste brasileiro, da argentina, da Austrália, o carro que ele usa tem peças fabricadas no mundo todo, desde o chip chinês, o minério colhido aqui e acolá, cobre em minas que matam os mineradores diariamente, etanol colhido por cortadores de cana que morrem antes dos cinqüenta e assim por diante.

Os computadores e celulares possuem metais semi-preciosos com minérios colhidos em minas da África por crianças de 12 anos objetos humanos da escravidão econômica.

Os sujeitos que enriquecem absurdamente tem méritos também e muitos, sem dúvida, mas muito mais méritos são oriundos das leis e sistemas político-econômicos criados nos séculos passados que ainda vigoram no mundo. Sistemas que não visam e nunca visaram equidade social, política e econômica e sim visaram a exploração humana e a escravidão econômica dos povos.

Os indivíduos que muito enriqueceram e detém fortunas incalculáveis e suficientes para uma vida abastada por milênios, se assim fosse possível, não o fizeram sozinho, por seu próprio mérito, mas sim exploraram outros seres humanos, e destes ganhou muito além do que devia ser cobrado. Este é o ponto, esta é a inflexão do pensamento de equidade que não existe politicamente e daí mergulha na incongruência o sistema econômico vigente.

É chegada a hora da humanidade repensar que o indivíduo bilionário na hora de sua necessidade utiliza em sua privada o mesmo papel higiênico do mundo inteiro que foi fabricado por uma fabrica que utiliza um pobre operário, e que a matéria prima vem de uma plantação desmatada em algum lugar do planeta e colhida e cortada por pobres trabalhadores que sequer tem condições de ter um Ipad.

O indivíduo rico tem de imaginar que cada grão de arroz que ele come vem de uma plantação de um pobre agricultor chafurdado na lama durante meses e nem pela simplicidade de sua atividade, esta atividade não pode ter uma valoração mil vezes menor que a sua, afinal se faltar o arroz, ele morre de fome, apesar de toda a sua tecnologia e conta bancária.

O mundo é simbiótico assim como os indivíduos, nada pode justificar este disparate social e econômico que vige hoje na sociedade. Estamos no século XXI e este é um dos maiores paradigmas falsos da humanidade; o mundo dos espertos e exploradores sociais acabou, há de ter sempre em mente os ideais de equidade em todos os sentidos para então encontrarmos os ideais de FRATERNIDADE, IGUALDADE E LIBERDADE.

Só pode ser feliz hoje o indivíduo que fecha os olhos para a iniqüidade do ser humano, que se fecha em pensamentos, em ideais humanos ou se fecha para a inteligência, o pensamento, se fecha para a consciência do ser, a sua própria consciência.

Os líderes hoje são homens ricos que manipulam os homens políticos como macacos líderes que dominam outros macacos na sociedade dos macacos. Mas nem todos os macacos da sociedade concordam e são estes os líderes verdadeiros e requeridos para transformar finalmente o homem macaco em homem ser humano, aquele que é capaz de pensar, de dividir, de respeitar as diferenças, de tolerar, e a história vai mostrar ainda que o homem ser humano é o único habilitado a amar outros homens ao invés de travestir este amor em exploração do macaco.

Nota: no curso da evolução da antropogêneses teosófica o ser humano atual é no mínimo ainda 60% animal e 40% humano, portanto, predomina ainda na mente o ser animal e não o ser racional, embora este já devesse ter sido despertado há séculos. Estamos atrasados evolutivamente.

b) o mundo vive hoje a mais grave crise econômica que engloba e vai atingir todos os países do planeta. A crise econômica iniciada em 2008 apenas atinge um novo capítulo em 2011, mas já era esperada há décadas, uma questão lógica quando se analisava no passado recente as bases da construção do sistema político e econômico.

Os EUA conseguiram uma sobrevida com a aprovação de aumentos dos níveis de endividamento e é a maior economia do mundo, sem dúvida e tudo que lá acontece respinga no mundo inteiro. Mas será de quanto tempo? Ninguém é capaz de prever.

A ocupação diária com protestos em Wall Street é sinal de algo vai muito mal e tende a crescer internamente a revolta popular contra a corrupção e contra os bancos que naufragaram o país no sonho do crédito infinito. Era um sonho de escravização econômica que falhou porquanto a renda ao invés de crescer, diminuiu muito nos últimos cinqüenta anos. E os políticos tanto republicanos quanto os democratas neste período são os principais responsáveis por esta situação ao não antevirem esta crise que pela lógica iria abater o país mais cedo ou mais tarde.

Isto já era tão previsível quanto 2+2=4. Já era plenamente visível e sabido pelos líderes já no ano 2000 e ao invés de enfrentá-la na oportunidade, Bush preferiu usar 9/11 para fazer uma guerra estúpida no Iraque e Afeganistão e gastou simplesmente 7,1 trilhões de dólares antes de passar um governo falido para Obama que teve que aumentar os gastos públicos em mais 2,4 trilhões de dólares que bateram o 100% do PIB americano. Agora a aprovação para imprimir mais 3 trilhões de dólares nos próximos três anos. Será suficiente?

A crise européia é grave

Na zona do euro a crise já está próximo do ponto de inflexão, os sinais de recessão são evidentes e fica difícil imaginar uma saída. Países acreditaram em seus políticos e adentraram na zona do euro sem estarem capacitados para tanto e agora vivem a realidade, de que não podem conduzir suas economias como sem fossem países ricos como a Alemanha.

Nada contra Irlanda, Grécia, Portugal e Espanha, mas eles sobreviviam a base de serviços principalmente e embora com populações pequenas, não poderiam ter rendas per capitas tão elevadas; era um embuste, um sonho, uma irrealidade econômica. Para se ter uma idéia simples, estes países apresentaram no ano passado uma renda per capita de três a cinco vezes maiores que o Brasil, este embora seja um país ainda em desenvolvimento, possui uma produção mundial invejável em praticamente todos os setores, faltando hoje mais tecnologias apenas. Aqui nós temos uma forte indústria de base, petróleo quase que auto-suficiente, energias baratas advindas das hidroelétricas e uma forte produção agrícola e mesmo assim sabemos o quão tem sido difícil nos manter e prosperarmos. O Europeu vive um sonho sem pé e nem cabeça, e isto foi proporcionado pelo seu sistema político completamente divorciado do povo e completamente dominado pelas elites européias.

A Grécia a despeito da dívida pública insustentável para a sua economia ainda teve por decisão governamental a “pachorra” de terem comprado em 2010 dois navios de guerra franceses e vinte submarinos alemães num gasto que deve somar algo em torno de trinta bilhões de euros e hoje não tem sequer um bilhão de euros no caixa. E o povo?

O mega investidor Warren Buffet declarou recentemente que mandou vender todas as participações da Berkshire, sua empresa, em bancos atrelados a dívidas publicas na Europa simplesmente porque considera que estes bancos estão por demais a descoberto e não seria um bom risco continuar a deter estas participações. Deve ter perdido um bom capital, mas mesmo assim se desfez de um problema que se torna real: muitos bancos estão com a vida pendente de soluções, ou seja, que novos empréstimos sejam concedidos aos governos dos países endividados para que estes honrem o pagamento dos bonds.

Em troca de novos empréstimos para saldar os investimentos das elites européias se faz necessário a aplicação de “duros” planos de austeridade nos países, inclusive França e Itália.

Há pensões de aposentados que foram cortadas a 20% do valor integral. Há demissões em curso na educação e saúde também. São milhares de novos desempregados por toda a zona do euro.

A corda sempre estoura pelo lado mais fraco: o povo. Mas espera aí, não seria o povo a corda mais forte de uma democracia? Não, não é. Os políticos decidem conforme querem as elites, e isto se torna fácil porque este sistema democrático é falido. O sistema político está falido e não presta para representar o povo.

Mas isto não vai ficar assim. O povo está se estruturando para os protestos contra os políticos, contra os governos anti-democráticos, e esta será a grande reviravolta política mundial. Todo o sistema político existente hoje vai acabar vindo abaixo e novos conceitos serão adotados num futuro breve em toda a Europa, assim como já está em curso no Oriente Médio em alguns países.

O futuro do euro é incerto. A única economia que produz, que tem tecnologia e que apresenta algum crescimento econômico e mesmo assim abaixo de 1% é a Alemanha. Alemães estão num dilema terrível. Estão sendo pressionados a ajudarem os países endividados a quem os chama de irresponsáveis. Podem colocar mais reservas para novos empréstimos pelo BCE e o fundo de estabilidade econômica da Europa que está exaurido, mas estão duvidando que isto poderá salvar a zona do euro e mais que eles mesmo podem estar comprometendo o seu país no futuro incerto. Qual a possibilidade dos países pagarem suas dívidas? Quais as capacidades futuras?

O povo alemão é pragmático, mecanicista, e pensando como eles começo a dar algum crédito nos boatos de que eles teriam um plano “b” que é abandonar a zona do euro se a situação chegar próximo a extremos. Tais rumores são de blogs alemães e contam até detalhes que já estão preparando as chapas para emissão de sua moeda: o marco alemão.

É apenas um rumor. A volta do marco provocaria uma extrema antipatia com os demais países da zona do euro e no médio prazo poderia provocar uma supervalorização da moeda que dificultaria demais as exportações no futuro. Como consequência final, a zona do euro desabaria de vez sem a Alemanha.

Não acredito nisto neste momento, mas a situação econômica dos países endividados tende a piorar nos próximos meses e as revoltas tenderão também a aumentar e muito em toda a Europa. A completa dissociação entre os políticos e os interesses populares parece crescer a cada dia e este atrito pode provocar acontecimentos bastante desagradáveis.

De todos estes problemas surgirá uma nova postura política ao longo do tempo e novos políticos e um novo sistema político e econômico que vise realmente estabelecer um bem estar equânime a toda a sociedade, à maioria da população, em longo prazo.

c) os eventos da natureza serão cada vez piores. A transformação da sociedade coincide com um grande período de ocorrências cíclicas da natureza, agravados e impulsionados pelo comportamento humano, seja mental ou físico. A natureza responde a dificuldade do ser humano ou bicho-homem em agir e pensar com equanimidade, com igualdade, com compaixão aos demais seres humanos. Todas as insanidades qualificadas assim sob o ponto de vista da razão de Deus e da razão da existência do reino hominal pairam sobre a atmosfera do planeta em energias que são retransmitidas ao próprio corpo planetário e ao nosso sol maior, à lua e demais planetas, bem como asteróides, cometas, partículas e a todo o universo. Tudo que o homem produz é transmitido e repercute até os confins do nosso Universo e vibra também em todas as dimensões.

Neste momento o acúmulo de cargas negativas é muito grande na Terra, somados a preocupações com o futuro, a falta de unidade de pensamento, ao temor do futuro, aos receios, aos medos da vida, e ainda mais com os sofrimentos e dores humanas.

A miséria é grande e aumenta diariamente. São milhões, bilhões que passam fome, milhões que morrem desnecessariamente. São guerras inúteis por poder e dinheiro. São disputas econômicas que destroem vidas.

Toda a incongruência humana é transmitida a Terra, que é um ser vivo, aos reinos vegetais que enlouquecem com os humanos, e ao reino animal, desde células, bactérias, vírus que se vão se transformando animalescamente também. Insetos vão proliferar mais ainda e trarão também uma crescente de doenças. Tudo muito lógico e conforme o próprio mecanicismo de funcionamento das leis que governam o Universo.

Os eventos da natureza como terremotos, cometas/ meteoros que caem sobre o planeta, chuvas torrenciais, furacões, incêndios vão acontecer em maior grau nos próximos meses, até por uma reação principalmente solar que se aproxima de uma máxima em seu ciclo em 2013.

Cometas como o Elenin que vai passar longe e está se esfacelando fazem interação com o Sol e outros menores vão interagir com a lua, como YU55-2005. Um terá aproximação em outubro e outro em novembro. Nenhum deles atingirá diretamente a Terra. Há outros menores em rotas próximas a Terra, mas bem pequenos que podem eventualmente causar pequenos danos. Estes pequenos sempre estiveram presentes na história, apenas que hoje temos um planeta bastante povoado.

Muitas pessoas acreditam mesmo que uma forma de solução dos graves problemas humanos encontra-se na possibilidade de ocorrências catastróficas da natureza como forma de castigo e para enfim consertar os rumos do ser humano.

Creio que isto não faz o menor sentido. Não há castigo e o Universo não trabalha com esta hipótese, uma tese ou doutrina do medo muito utilizada pelas religiões para amedrontar o homem. Não, não é assim que Deus, Melk-Tsedec, ou outro nome que queira dar trabalha, uma vez que todas estas mazelas atuais da civilização moderna possuem solução inteiramente sob o controle dos homens; basta querer e resolveremos tudo, desde fome, doenças, guerras, crises pessoais e coletivas, tudo o homem com os recursos atuais consegue resolver se assim o quiser.

Não precisa da intervenção divina para resolver isto, contudo, se não resolvermos nada daqui para diante, certamente atrairemos todas as consequências imagináveis e inimagináveis como resultados de nossas próprias ações.

Na nossa humanidade se evolui sempre pela dor, porquanto pelo uso da consciência e compaixão ainda não é possível, assim sendo, cada um, cada sociedade escolherá a sua forma de progresso humano: o plantio é livre, mas a colheita é obrigatória, sem dúvida.

Por Atama Moriya, em 03-10-11.

Anúncios
Esse post foi publicado em "2012" - Fim de um ciclo, Desafios da Humanidade e marcado , . Guardar link permanente.

Opte por deixar comentários claros, concisos, compreensíveis e racionais. Evite palavrões, palavras ásperas e críticas/ofensas a outras pessoas. Lembre-se que este blog é muito lido por menores de idade. Por favor, deixe bons exemplos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s