28 mar. 11 – 22:00hs – Revolução na Libya – Neste momento as forças pró-democráticas enfrentam a mais dura batalha corpo a corpo em Sirte

Durante a madruga de hoje os rebeldes pró-democracia e liberdade tinham comunicado que tinham tomado Sirte, mas a informação não se confirmou. Havia uma emboscada preparada pelas forças de Gaddafi em volta da cidade.

Este dia a batalha por Sirte foi a mais dura enfrentada até hoje pelo movimento de libertação Libyo, mesmo com o apoio das aeronaves da OTAN.

Os jovens rebeldes não são soldados, não tem treinamento militar, não tem armas anti-tanque e dispõem apenas de velhas armas russas e eles tem combatido contra o fortemente armado exercito de Gaddafi pelas areias do deserto em volta da cidade de Sirte.

Segundo relatos, a disputa está muito feroz. Há notícias de inúmeras mortes e feridos. Sirte é a cidade Natal de Gaddafi, e sua conquista também tem o valor simbólico da Vitória para os rebeldes.

Dizem que o numero de mortos no total já deve ter ultrapassado a marca de 20 mil pessoas. E isto incluiria centenas de civis, mulheres e crianças também.

As declarações do líderes do movimento de libertação em Bhengazi deixam claro que eles pretendem implantar uma democracia franca, transparente, com uma nova constituição e constante troca de poder.

As autoridades líbias afirmaram nesta segunda-feira que liberaram a mulher que acusou na semana passada soldados do regime de estupro. “A jovem foi liberada, mas a justiça a interroga sobre as circunstâncias do caso. É um caso criminal e não político”, declarou à AFP o porta-voz do governo líbio, Musa Ibrahim.

O porta-voz disse que os soldados acusados apresentaram uma denúncia por difamação e que a procuradoria ainda investiga o caso, em particular depois que a mulher se recusou a ser submetida a um exame médico. A mulher, Imane al-Obeidi, invadiu um hotel de Trípoli no qual jornalistas estão hospedados e pediu ajuda, afirmando que foi torturada e violentada por homens do regime.

De acordo com a Al Jazeera e confirmada por outros jornalistas que esavam presentes no momento em que invadiu o hotel, ela afirmava ter sido presa, algemada e violetanda por pelo menos 15 homens da força militar de Gaddafi.

Existem muitos outros relatos verbais em várias cidades que estes ataques à mulheres tem se repetido desde o início do levante. Mas seria a primeira vez que uma mulher ousa contar aos jornalistas o ocorrido. Triste.

No episódio de sábado ela foi presa e mantida incomunicável aos jornalistas e sua libertação de fato não consegui confirmar. Vejam o vídeo no momento em que ela entra no hotel e é contida pelos funcionários do hotel que chamam a polícia de Gaddafi que impedem com violência o seu pronunciamento, inclusive agridem jornalistas estrangeiros e quebram equipamentos.

As ultimas atualizações sobre a guerra civil de hoje pela Al Jazeera:

Por Atama Moriya, em 28-03-2011 as 22,oo hs.

Anúncios
Esse post foi publicado em "2012" - Fim de um ciclo e marcado . Guardar link permanente.

Opte por deixar comentários claros, concisos, compreensíveis e racionais. Evite palavrões, palavras ásperas e críticas/ofensas a outras pessoas. Lembre-se que este blog é muito lido por menores de idade. Por favor, deixe bons exemplos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s