31/01/2011 – Tunísia e Egito, como diz o WSJ, marcam sim uma Nova Era no mundo árabe e muçulmano – Qual a vontade de Deus na democracia?

Mas atentem; esta Nova Era Mundial nada tem com a Nova Era anunciada pelo governo americano. Estamos falando do conceito de democracia, da verdadeira democracia que deveria existir em todos os governos da Terra.

Neste início de 2011 os novos paradigmas entram em ação pelo mundo todo de maneira mais intensa. Impulsionados por uma cultura mais livre para todos os seres humanos que se espalha pela internet e comunidades que andam à frente da história atual, trabalhadores de países mais pobres vão às ruas e pretendem a instalação de governos locais mais justos e democráticos.

A democracia detém vários níveis e quanto mais livre for um povo, mais democrático será o país. Não existe ainda nenhum país no mundo onde impera a democracia de 100%, justamente porque ela depende do grau de liberdade e consciência do povo.


Ainda estamos formatando em cada país um modelo de governo, o melhor, o ideal, e para tanto é imprescindível que haja a participação cada vez maior do povo, até que haja crescimento da consciência de cada indivíduo e esta consciência possa atuar de forma coletiva para o bem de todo o povo, e não apenas de alguns privilegiados.

A questão dos países árabes e africanos foge da questão religiosa; a coisa não é tão simples assim, e vai além de pseudo-democracias implantadas no pós-2ª. guerra mundial com a influência de países aliados vencedores, e principalmente moldes implantados por americanos em todo o mundo.

Quando falamos da necessidade de transparências dos atos dos governos e vemos a luta de Assange com o Wikileaks, estamos a defender a democracia, que em tese filosófica é o governo do povo e para o povo. As democracias existem, mas são extremamente manipulatórias sobre o povo, portanto, ferem o princípio básico do que seja democracia.

Quando nos referimos a democracia clara e transparente é porque não podemos acreditar em falsas democracias em que atos do governo e motivações precisam necessariamente serem ocultos, serem secretos. Se são atos e intenções boas para o povo porque temos de escondê-los?

Sem transparência, honestidade e veracidade dos comportamentos e decisões por mais que se realizem eleições democráticas, não existe uma real democracia, posto que os eleitores não estão cientes dos fatos e da verdade, portanto, não podem de maneira alguma realizar escolhas justas ou a mais corretas possíveis visando o bem geral do povo.

Quando esconde-se verdades, pratica-se a manipulação do povo. Isto não é democracia, isto é tirania democrática, algo tão comum no ocidente, em todo o ocidente e mais comum em países do terceiro mundo.

O Brasil não é diferente dos demais países, e hoje ainda colhemos os frutos venenosos dos tempos da ignorância política do pós-revolução de 1964 que nos dominou até a década de 80, quando finalmente aconteceu as diretas já, um episódio que vemos ainda hoje embrionário, mas o povo está evoluindo e a cada nova eleição mostra-se um pouquinho mais consciente, ainda bem pouco, mas temos evolução dos conceitos. Ainda falta muito, mas chegaremos lá, principalmente se repararmos que esta evolução da consciência do povo teve saltos importantes nos últimos dez anos.

Poucos se lembram mas este país já teve prefeitos biônicos, governadores biônicos, senadores biônicos, e presidentes biônicos, ou seja, não eleitos pela vontade popular e apoiados por uma violenta manipulação mental do povo mantido cordeiro, cego, surdo e mudo para não encher a paciência dos tiranos democráticos.

Este resquícios de falta de democracia ainda sobrevivem em nossa constituição que não foi devidamente renovada no governo FHC por conta de manipulações ainda existentes e persistentes sobre o povo brasileiro. Ainda ministros do STF são biônicos, diretorias de estatais, ministros e tantos outros cargos importantes que teriam de serem submetidos a plebiscito popular e não apenas oitivas no Senado cujos eleitos o foram no meio das falta de informação e manipulação das informações ao povo que continua ainda “marionetado”.

Mas isto vai mudar neste país, aos trancos e barrancos que seja.

Há novos eflúvios sobre a Terra e não é religiosa, mas de filosofias antiqüíssimas que ora retornam para despertar do homem sobre a face planetária.

Esperamos que novos Wikileaks surjam em todos os países e os cidadãos possam enfim compreender que o governo é o povo, e não os governantes tiranos democráticos, fabricados por modelo “Cia” que assolou o mundo durante décadas e está caindo por terra; desde a revolução dos aiatolás e, portanto não é de hoje, democracias tiranas que favorecem apenas os apoiadores de “kastas econômicas” estão desaparecendo.

WORLDWIDE: R E V O L U T I O N


Não importa qual o governo e governantes escolhidos ou a serem escolhidos estes povos de países pobres, do terceiro mundo assim chamados pelos mais ricos, numa “nomenckatura” estigmatizante, como cidadãos inferiores que merecem menos por isso mesmo. Cada povo deve ter a liberdade de consciência obtida com o máximo de informações possíveis de ter e cometer seus próprios erros e acertos, e somente assim podem evoluir.

O ser humano ainda não atentou para o fato que ele vive de uma maneira geral manipulado em seus pensamentos e opiniões que até podem ser as melhores escolhas, entretanto, a ele deve ser concedido, pelo princípio democrático, todas as razões e opções para a sua escolha individual e não simplesmente induzi-lo a pensar desta forma ou daquela forma por conveniente ao interesses da “kasta”, esta sim essencialmente comunista ao poder, já que torna comum os benefícios apenas ao da elite, e os malefícios aos dominados.

Já disse alguém há muito tempo atrás e não me lembro o nome infelizmente, “todo o ser humano seria tirano se pudesse”. E é verdade. Ele somente é freado quando uma multidão o vigia e o contesta em suas decisões. Como os tiranos da kasta governamental do países não querem serem vigiados e nem contestados, eles escondem a informação, eles manipulam sem nenhum escrúpulo, e sob a égide de que o melhor para o povo foi feito. Ora, nada mais estranho que esta frase secular já que a escolha não caberia a ele, e sim ao povo que na síntese da democracia é o único poder que tem todos os direito de errar, diferentemente dos demais poderes, executivo, legislativo e judiciário, que jamais podem errar e jamais errarão se apenas cumprirem com A VONTADE DO POVO, e não a sua própria vontade.

E com razão também, não é o que pedimos em oração: “que seja feita a tua vontade”? A vontade de quem? De Deus, é claro. E assim também é nos governos; onde a vontade de Deus é a vontade contida no Povo, nos anseios do povo.

O que vemos historicamente em países muçulmanos são governos tiranos, alguns até com muitas riquezas, mas absolutamente tiranos que sob uma falsa democracia, estendem a miséria a sua quase totalidade da população, as quais vivem em condições precárias e limitadas a despeito da “kasta” que são “sheiks” nos modos de vida e são apoiados por governos ocidentais totalmente engajados na exploração dos interesses políticos, econômicos e sociais destes povos.

Não estamos falando de políticas ou de religiões, estamos falando de democracias e miséria.

Nas falsas democracias (e todas são falsas em maior ou menor grau) a miséria sempre é socializada e as riquezas são acumuladas em prol de minorias tiranas. Mas o tempo mudou e em muitos países, como o Egito e a Tunísia e outros mais que se seguirão, isto não mais será aceito pelo POVO cuja vontade coletiva deve ser respeitada e lida como sendo a VONTADE DE DEUS, seja errando ou acertando, e este é o verdadeiro exercício do livre arbítrio do homem que permite a sua evolução, caso contrário, vamos continuar “tacando pedrinhas” uns sobre os outros até o fim dos tempos.

Embora a maioria ainda continue a pensar que pensa, podemos ter a certeza que os poucos que pensam de fato estão fazendo a diferença e estão mudando o mundo para melhor e assim será nesta nova era que adentra em novo capítulo em 2011.

Ao pensar você pode cometer erros, muitos erros, mas serão os seu próprios erros e no final da vida você verá que terá valido a pena viver.

Por Atama Moriya, em 31-01-2011.

Anúncios
Esse post foi publicado em Ética e Razão, Desafios da Humanidade e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para 31/01/2011 – Tunísia e Egito, como diz o WSJ, marcam sim uma Nova Era no mundo árabe e muçulmano – Qual a vontade de Deus na democracia?

  1. gilson alfredo de moura disse:

    tudo caminha para um governo mundial para acabar com diferenças sociais=alguem para distribuir em porções iguais a riqueza da terra.

Opte por deixar comentários claros, concisos, compreensíveis e racionais. Evite palavrões, palavras ásperas e críticas/ofensas a outras pessoas. Lembre-se que este blog é muito lido por menores de idade. Por favor, deixe bons exemplos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s