A política de aumentos da taxa SELIC do BC é um tremendo engano!

Ela está em 10,25% a.a. e já há pressão das instituições para que volte a subir esta semana. No mundo somos os recordistas. Navegamos numa contra-mão sem nenhuma lógica. Na maioria dos países os juros são negativos atualmente. Qual a justificativa para sermos diferentes? Por que aparece a todo momento alguém dando entrevista para justificar a necessidade de aumentos da taxas do B.C. para controlar uma inflação que nem ao menos é identificada minuciosamente?

O Povo continua sendo manipulado como um bando de “babacas”. Até quando temos que suportar isto?

Somente bancos e investidores aplaudem a manutenção da taxa selic do Banco Central nestes níveis altíssimos, uma prática terrivelmente prejudicial ao crescimento da economia e que vem sendo mais intensamente praticada desde o Plano Real, por vários governos e que não traz nenhum resultado positivo para a economia.

Alegam sempre que é para controlar a inflação, como se esta tivesse deixado de existir quando ela chegou a 26,5% AA. É muita falta de imaginação ou competência do Copom.

De um lado elevam-se os juros da taxa selic que aumentam consideravelmente os juros do crédito no país e de outro se estimula o super endividamento das pessoas físicas e jurídicas.

Certamente estão estimulando a rolagem da dívida interna pública e agradando aos investidores e bancos que estão sobrecarregados e não teriam onde aplicar este excesso acumulado ao longo de décadas de exploração econômica. Não com estas taxas de juros praticadas hoje.

O Povo está sendo feito de bobo. Salário não tem aumento real há décadas, mas o endividamento familiar tem crescido assustadoramente.

Estamos seguindo o mesmo caminho da família americana, mas pagando juros absurdos.

Cheque especial hoje passa de 179% AA, outras linhas de crédito a 130% AA. Até crédito para aposentados, sem nenhum risco efetivo, chega a 2% a.m.

É incrível como enganam o Povo neste país de mentirinha. Um absurdo.

Embora possa se ter problemas com a dívida pública interna, um BC e um governo que realmente se preocupa com o crescimento real da economia teria que investir em todas as outras alternativas que não seja simplesmente aumentar a taxa de juros oficial.

A nossa inflação é absolutamente pontual e baixa e pode muito bem ser controlada com reduções pontuais de impostos e políticas especificas de estimulo à produção.

Chato é perceber claramente que nenhum dos candidatos ao governo ou mesmo os partidos tenham uma idéia alternativa a esta política danosa, estão todos de braços dados com os financistas e mais triste é perceber a mídia de uma maneira geral comprar esta “solução” como sendo mesmo a ideal para controlar a inflação. Deveriam se atentar para o fato de termos uma dívida interna elevada, bem como, termos necessidade de agradar a quem tem excesso de liquidez e quer aplicar com tanto benefícios. Não tem risco, é só ganho.

Pobre do trabalhador que ao invés de ver sua renda aumentar, é obrigado a se endividar em “suaves” 60 prestações e ainda acaba acreditando que isto é muito bom!

A dívida média da família brasileira já é superior a 11 vezes o seu ganho anual e continua crescendo assustadoramente. Já vimos o que isto causou a milhões de americanos.

Temos um índice de desemprego altíssimo, superior a 20% na faixa etária abaixo dos 20 anos e algo em torno de 10% nas demais faixas, isto sem acrescer os empregos informais ou sub-empregos, os quais adicionados devem dobrar estes números.

Os governos federal e estaduais deveriam ter uma política única de desenvolvimento e crescimento real da economia, e não este crescimento irreal à base de crédito, prática que se mostrou falimentar no resto do mundo.

Precisamos criar condições de crescimento real dos salários à base de um crescimento real da produção sem a ficção dos créditos abundantes. Investir duramente na educação e no preparo da mão de obra qualificada.
Hoje só bancos e investidores tem vantagens e crescimentos reais, amanhã, se isto continuar, vai falir a família brasileira, pois a sua poupança está sendo cada dia mais sendo “vampirizada” pelos juros; o seu trabalho está indo para outras mãos.

Se conselho fosse bom, seria vendido, é verdade, mas não custa recomendar aos trabalhadores brasileiros para que não comprem nada a prazo, façam sua poupança e comprem a vista assim que possível. Isto pode parecer amargo, mas será benéfico a longo prazo, pois forçará os governos a uma nova política de desenvolvimento econômico onde não somente os banqueiros, mas todos possam se beneficiar de fato.

Por outro lado que “idiotice” o governo está fazendo com 250 bilhões de dólares na reserva, por que não aplica isto aqui internamente como o fazem a maioria dos países em desenvolvimento que por sinal continuam em crescimento real?

Continuamos na contramão com um super juros interno e uma super reserva externa. A pergunta é: a quem isto interessa?

Por Atama Moriya, em 20-07-2010

Anúncios
Esse post foi publicado em Crise econômica e marcado , . Guardar link permanente.

Opte por deixar comentários claros, concisos, compreensíveis e racionais. Evite palavrões, palavras ásperas e críticas/ofensas a outras pessoas. Lembre-se que este blog é muito lido por menores de idade. Por favor, deixe bons exemplos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s