Boris Casoy “em off” expressa seus pensamentos filosóficos sobre os garis

Fui informado deste episódio no primeiro dia do ano, e que má  notícia para este Brasil.

Para quem quiser ver o vídeo que não quero nem postar aqui é só clicar em

Jornal da Band e Boris Casoy – Humilhação aos garis – título no YouTube

Este senhor tem todo o direito de pensar o que quiser a  respeito de quem quer que seja, esta não é a questão. A questão que se insere é que é um formador de opinião que nestes anos todos vendeu uma imagem ao POVO de “politicamente correto” quando em realidade demonstra ser uma pessoa do tipo desprezível e despreparada para ser um jornalista ancora de um telejornal como o da BAND que tinha um ótimo conceito no tempo do João Saad e não se prestaria para ter em seus quadros pessoas que desprezam e humilham os pequenos trabalhadores denominados de “lixeiros como os mais baixos da escala do trabalho”.

Vivemos em sociedade e todo os trabalhos e trabalhadores são importantes tanto quantos outros, aliás permitam me comentar que podemos viver tranquilamente sem ancoras de telefornais, mas não podemos passar um dia sequer sem os lixeiros. Que faríamos com todo o lixo que produzimos diariamente?

Também é de ressaltar que na prática são os lixeiros do mundo que mais contribuem diretamente para a melhoria da questão climática que ano após ano está se agravando e trazendo consequências graves como estas chuvas torrenciais que tivemos no fim do ano passado e que provocaram dezenas de mortes. E nesta escala de importância os ancoras de jornais televisivos devem estar entre os ultimos.

Pessoas não são superiores ou inferiores por exercerem diferentes profissões, por serem garis ou ancoras de jornais; esta é uma crença absolutamente falsa, um julgamento infeliz produzida por milênios de uma cultura que já deu o que tinha que dar e hoje está falida, acabada, por sinal, como tudo que um dia floresce, um dia acaba, este é o ciclo evolutivo do homem sobre a Terra.

Muitas pessoas ainda se agarram a estes conceitos velhos e ultrapassados que vai mudar rapidamente a civilização nas próximas décadas. Quem viver verá.

É, mas já estamos em 2010 e um novo tempo se aproxima a passos largos e também muitas máscaras vão cair à partir deste ano. Isto não é uma previsão, mas uma observação diante de tudo que está ocorrendo no mundo nos ultimos anos.

Pode-se enganar o Povo por muito tempo, mas não o tempo todo, diz um sábio ditado.

Como em todos os segmentos da sociedade, tem garis bons e garis maus, mas a maioria é bom.

Tem também jornalistas bons e maus, mas a maioria pelo visto é mau posto que a televisão só tem apresentado coisas ruins ao Povo.

Isto é uma vergonha!

O Brasil é um país maravilhoso, com um povo maravilhoso e merece sim coisas muito melhores e superiores de verdade. Não seres humanos superiores, pois somos todos iguais perante o criador, mas melhores humanos.  Nascemos, crescemos e morremos como todo mundo, mas nos diferenciamos pela qualidade de nossos ideais, conceitos, idéias, pensamentos, culturas e filosofias de vida.

Atama Moriya

Anúncios
Esse post foi publicado em NOTÍCIAS e marcado , . Guardar link permanente.

6 respostas para Boris Casoy “em off” expressa seus pensamentos filosóficos sobre os garis

  1. Adriana disse:

    Oieh, Mariana linda! Saudades!rsssssss

    Hummm… graças a Deus, existem algumas pessoas não aceitam mais estes comportamentos desprezíveis… sinal de que estamos evoluindo, ainda que em passos pequenos…rsssss

    Bjussssssss em seu coração

    Adri

  2. Ode Marina disse:

    Oi, Adri! Oi Atama!

    Adri, agradeço o carinho – é recíproco!
    Fico pensando que certas situações assim, de preconceito e discriminação, acabam prestando um serviço de alerta aos demais, pois quando assistimos a fala do jornalista, logo concluimos que não queremos ser como ele!
    Foram muitas as manifestações de repúdio, dentro do entendimento e preparo de cada um p/ lidar com isso…teve um comentarista que enviou um recado aos garis, dizendo que a partir dali iria embalar seu lixo em saco preto escrito do lado de fora “Boris Casoy”…
    O que importa é que muitos, a maioria, se importou. E se ofendeu com as palavras jocosas do Infeliz.

  3. Adriana Santos disse:

    Olá Atama amado, Marina linda e Um Amigo…

    Adoro, ver os comentários de vocês, são sempre ótimos e me fazem refletir mais sobre a vida.rssssssss…

    Atama, eu tomei a liberdade de copiar o seu texto para o meus amigos por e-mail e expressei a minha indignação e tristeza diante desta acontecimento.

    Vou repassar o comentário aqui também no blog. Como um desabafo..rsssssss

    A baixo o meu comentário…

    Bem, é claro que todos estão a par do caso do jornalista Boris Casoy e seu infeliz comentário sobre os garis, trabalhadores, como nós, que merecem dignidade e respeito. Eu não sei vocês, mas o meu sentimento é de tristeza diante de tal acontecimento, porque é triste demais, perceber o quanto infeliz é o sr. Boris Casoy, já que nossos pensamento e atitudes são apenas um reflexo do nosso estado interno, e um comentário tão infeliz, só pode refletir a infelicidade deste ser.

    Que pena que este ser seja tão infeliz, ao ponto de achar que tem o direito de roubar os sonhos dos trabalhadores brasileiros por um ano melhor, uma vida melhor… um desejo intimo e tímido de felicidades para si e para todos, que foram expressos nos votos dos nossos heróicos garis. Heróis sim, como todo trabalhador brasileiro os são, por viverem de forma desumana e ainda assim, trazerem em seus corações a esperança e a fé, de um dia melhor, uma vida melhor, onde possamos não apenas ser pessoas dignas, mas também vivermos com dignidade.

    Fora a tristeza e indignação diante de tal comentário, nós resta, a felicidade de saber que faltar com respeito ao próximo, é crime nas leis divinas e humanas também, e ainda que esta atitude não pese na consciência do Sr. Boris Casoy, certamente vai pesar no seu bolso. Quem sabe, desta forma ele aprenda um pouquinho sobre ética, moral e amor, a si mesmo e ao próximo?!

    Para vocês meus amigos o posto a baixo um maravilho texto sobre o caso….

    Beijossssssss em seus corações com amor e carinho

    Adri

  4. Ode Marina disse:

    Gostei muito de ler sua postagem, Atama, bem como o comentário do Nobre Amigo.
    Todo meu repúdio à atitude do jornalista Boris Casoy, este infeliz.
    Hipocrisia dá nojo, e deve ser combatida.
    Existem leis para combater preconceito e discriminação, e devem ser usadas para lamentáveis casos como este… Que sirva o caso para todos refletirmos sobre os valores éticos e morais não só das pessoas públicas, mas no cotidiano de cada um.
    Boris Casoy punido criminalmente e a BAND boicotada se não se posicionar a respeito.
    Se eu fosse gari nem passava mais na rua dele, que fique com seu “lixo” servindo de âncora!

  5. Atama Moriya disse:

    Um Amigo,

    Pois, é você tem razão, pedir desculpas não muda nada, pois não muda o pensamento que ele tem sobre os garis ou lixeiros como ele prefere se referir.

    Pedir desculpas, neste caso, é mais um ato “ignorante” e até cínico do apresentador posto que o conceito que ele e outros da bancada da Band tem continua o mesmo.

    Fez bem o Sindicato dos Garis em não aceitar as desculpas, posto que esfarrapada e falsa em seu conteudo.

    A corrupção em si deve ser punida por ser crime previsto em lei, mas antes de ser previsto em lei, alguém já a classificou como um ato imoral que fere o convívio na sociedade. Pois bem, ofendar os outros também é um ato imoral que fere aos demais, assim sendo, “pau neles” também…Isto é uma vergonha se terminar em pizza, não é Boris?

    Temos que ter tolerância aos que cometem crimes famélicos, mas não aos engravatos que ofendem ao POVO diariamente e se saem bem com alguns pedidos de desculpas.

    Me impressiona também o corporativismo das TVs já que nenhum comentário foi feito, nem mesmo no CQC…
    Marcelo, se isto não é digno de nota, então por que continua debochando dos outros dos outros canais???

    Atama Moriya.

  6. Um Amigo disse:

    Excelente seu post nobre Atama. Essa atitude do Boris Casoy foi uma decepção para muitos (refiro-me há aqueles que tinham nele um profissional que defendia as injustiças/preconceitos com “unhas e dentes”, que acreditavam que seu famoso jargão “Isso é uma Vergonha” não fosse tão somente de boca para fora).

    “Engraçada” são as desculpas que aparecem por ai, tipo: “foi gafe”, “foi falha técnica”, etc…não, não foi nada disso, isso foi realmente o que este Srº pensa. Lógico que todos tem o direito de pensar/crerem no que quiserem, mas creio também que de acordo com a seriedade envolvida (o que essa forma de pensar/crença atinge ou fere), os indivíduos que as manifestam devem responder por isso e não ficarem isentos das responsabilidades que tais atitudes causam.

    O país tem muito que mudar, o mundo tem muito que mudar…mas acredito que dentro deste processo paulatino (à medida que o tempo for passando e as coisas acontecendo), mais as pessoas/sociedade se tornarão menos tolerantes com atitudes tidas como imorais/não éticas de acordo com o “tempo vivido”. E o que antes – anos/décadas atrás – “passava batido/era esquecido”, chegará num ponto que “terão conseqüências sérias/nefastas” para seus causadores (terão que responder).

    De fato as máscaras estão caindo, e este processo continuará se intensificando (e estamos todos envolvidos). No vídeo do Boris Casoy percebe-se claramente pessoas ao fundo rindo das indagações (dando lhe “corda”), devemos ficar atentos, pois todos somos/seremos testados, e quando estamos rodeados em grupinhos isso se torna mais perigoso ainda para nós (neste processo de nos policiarmos).

    O Grande Rabi disse: “Orai e Vigiai”. Dentre as várias interpretações que essa frase tem, existe uma que sempre gostei: “Sim; devemos orar pedindo proteção contra todo o mal existente neste mundo, mas devemos fazer nossa parte e vigiar. Não apenas vigiar as coisas que estão ao nosso redor, mas principalmente vigiar a nós, ou seja, não nos deixarmos levar pelas ‘ondas das circunstâncias’ = as armadilhas/ciladas que muitas situações/pessoas podem nos apresentar”.

    Novamente me lembro do Grande Rabi; quando o mesmo de frente para a mulher adultera, muitos o questionaram dizendo que pela lei de Moises, este mandava apedrejar, mas o que Ele – Jesus – os permitia fazer? Ou seja; colocaram-no numa armadilha, se Ele dissesse “Não, Moises está errado”, estaria negando a importância de Moises como profeta para aquele povo (e isso ia dar um desgaste absurdo para Ele naquele momento = iam questioná-lo mais ainda), então foi quando Ele respondeu da forma que todos sabem, com sabedoria (saindo da armadilha). Resumindo; aproveitaram uma situação/oportunidade que nada tinha haver com Ele e surgiu “do nada”, e tentaram “destruí-lo”.

    O processo das “máscaras caírem” cada dia se intensificará mais; e dentro disso poderemos nos ver em situações “semelhantes” à do Grande Rabi, ou no outro extremo deste Boris Casoy (podendo ser um daqueles que estão ali perto = ouvindo uma “chacota” que não concordamos, mas não irmos “na onda” só porque quem a pronunciou é um “chefe” nosso por ex)…devemos ter a mestria para sairmos dessas situações com sabedoria.

    Excelente seu post Atama. Parabéns.

    Fique com Deus, fique bem.

Opte por deixar comentários claros, concisos, compreensíveis e racionais. Evite palavrões, palavras ásperas e críticas/ofensas a outras pessoas. Lembre-se que este blog é muito lido por menores de idade. Por favor, deixe bons exemplos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s