Nossos irmãos monádicos…e as dores e os sofrimentos que sentimos

Neste artigo vamos falar rapidamente sobre um conhecimento puramente esotérico, mas por importante neste momento e algo que vai explicar muitas das coisas que milhões de seres encarnados hoje sentem e sofrem sem saber como explicar.

Na série “Importância das Raças” escrevi sobre a metodologia empregada no Universo para a criação de Mônadas, o átomo raiz de forma a existirem hoje milhões, bilhões, trilhões, centilhões de almas espirituais, cada uma tendo a sua própria experiência de vida pelos mundos afora.

Aqui na Terra não poderia ter sido diferente, então a dado momento éramos alguns milhões e não faz muito tempo e de repente somos hoje somente aqui no plano físico 6,5 bilhões de seres humanos, sem contar os que já se foram para outras dimensões ou planos de vida, num total neste orbe que segundo alguns mais estudiosos chegariam a 36 bilhões de almas.

Isto vem de encontro às escrituras mais antigas em que se conta que há milhões de anos atrás o Rei do Mundo, para adiantar e apressar as evoluções promoveu uma nova divisão de mônadas, sendo que cada uma em existência individual foi novamente re-dividida em mais seis partes, ou seja, há sete partes de uma mesma mônada ganhando experiência individualmente neste momento.

Já nesta mudança de era, cada uma das sete partes, após obterem suas experiências de vida, deve se juntar as outras partes, em um processo de re-fusão, voltando a formar uma única mônada, e se mesmo assim não for suficiente para a melhoria dos níveis de consciência, novamente se funde as outras seis partes provenientes da divisão anterior a esta. E se até aí não der em nada, bom, neste caso joga-se tudo fora….rsrsrs…brincadeirinha; isto seria quase impossível de acontecer.

Daí porque se diz que em breve não seremos mais bilhões, mas apenas milhões, apenas que melhorados em muito os níveis de consciência, pois o processo de fusão promove uma melhoria enorme. Explica-se: se individualmente temos seres com trinta, cinqüenta encarnações, logo somados, seremos seres com trezentas, quatrocentas encarnações experimentadas, o que equivale dizer, haverá uma exponenciação dos níveis de consciência.

Mas sem entrar demais nestes conhecimentos profundos da antropogênese que não é o objetivo aqui, vamos para o que isto pode representar nas vidas das pessoas hoje.

Os irmãos monádicos são muito mais ligados a nós do que imaginamos, principalmente os últimos seis da última divisão, pois que esta ligação que existe através de cordões de todos os seres com todos os demais, ela é intensamente mais forte com estes irmãos entre si.

Teoricamente todos os setes podem estar ou deveriam estar encarnados quase que ao mesmo tempo, ou num mesmo período de vida, pois, não teria muita lógica cada uma das partes ter experiências em momentos muito distantes entre si.

Intuitivamente o homem sabe disto, e outros que tem este conhecimento os utilizam de maneira simbólica até em filmes de cinema, como é o caso de “Os Sete Samurais”, uma obra-prima do cinema, obra de um extraordinário Diretor.

Esta ligação monádica é mesmo muito intensa, é muito mais que a de irmãos gêmeos, por exemplo, é muito maior que de mães para filhos, e assim por diante.

Tanto são intensos que normalmente os irmãos vivos no plano físico estão todos espalhados e muito distantes um do outro, se pertos poderiam ficar loucos. Por exemplo, se você está hoje no Brasil é bastante provável que haja um irmão seu hoje na África, um outro no Afeganistão, um outro na China, um outro nos Laos, etc.. E estão mesmo em locais distantes e de tal forma que jamais se encontrarão aqui nesta vida.

O que pode acontecer e seria até normal, é que alguns de nossos irmãos monádicos podem estar passando experiências muito duras, difíceis em vida, como por exemplo, se ele é alguém que vive no Congo, cujas condições de vida da maioria são realmente desesperadoras. Neste caso, você aqui no Brasil certamente, se mais evoluído for ao sentido divino de um ser melhor que a média baixa atual, sentirá quase se simultaneamente todas as dores e angústias do seu irmão monádico, por vezes eles pode estar à beira da morte por doenças como a SIDA e estar passando momentos muito, mas muito complexos de dor. Neste caso, sendo você mais sensível, tenderá a sentir quase que as mesmas angústias e por vezes até voluntariamente poderá assumir muitos desses sofrimentos de seu irmão no sentido de aliviá-lo.

Na maioria das vezes todo este processo se passada de forma inconsciente, mesmo porque se você soubesse quem é seu irmão monádico, certamente como todo ser humano curioso ida lá tentar encontrá-lo de qualquer maneira, o que não é o caso que seja feito. Haverá este encontro sim, mas em planos absolutamente superiores quando todos fazem a passagem das experiências uns aos outros.

Muitas pessoas hoje sentem sofrimentos que para si são absolutamente incompreensíveis e não são seus propriamente ditos, mas podem também somatizá-los nesta vida e passar a se sentir igual. Por exemplo, se você está com um irmão monádico tentando um suicídio, todas aquelas dores e angústia podem estar sendo transmitidas diretamente através dos cordões a todos os demais irmãos, estejam em que plano de vida estiver, ou seja, serão sentidos em todos aqueles sofrimentos daqueles momentos mesmo que alguns nem estejam mais na Terra física.

Da mesma forma, alguns mais fracos e predispostos podem influenciados pelo irmão também tentarem o mesmo suicídio, ou repetirem experiências dos irmãos. Por isso, quando realizamos ou praticamos atos extremados necessitamos que sejamos diligentes e responsáveis também, sabendo que nossos irmãos monádicos poderão também repetir aqueles comportamentos intuitivamente. Isto se aplica a vícios, desejos, excessos sexuais, bebidas, corrupções, violências, homicídios, etc.. E, mais importante, é saber também, que cada vez que você, agindo pela ética e moral divina também transmite este pensamento e modo de agir a seus irmãos, o que pode ajudá-los muitíssimo na vida através do exercício das positividades, do amor e do carinho aos outros seres humanos e podem com certeza livrá-los de momentos difíceis e muitos sofrimentos.

Cada vez que você melhora a si mesmo, estará melhorando diretamente os seus mais diretos irmãos, e melhorando também os seus mais diretos irmãos, você em verdade estará melhorando as si mesmo, porque afinal, somos todos partes de uma outra unidade monádica que se fundirá novamente com tantas outras partes que andam espalhadas ganhando experiências pelo mundo. Todas as experiências serão juntadas mais cedo ou mais tarde, e seria lógico e inteligente que trabalhemos no sentido de criarmos algo positivo para levar a todo o momento aos nossos irmãos de coração.

Burrice é mesmo imaginar que nossos atos não têm conseqüências, mesmo que realizados na calada da noite, e em segredos, já que não existem segredos no mundo, apenas coisas que ignoramos em função de saberes limitados.

Espero que você realmente tenha “sorte” e tenha nesta vida irmãos monádicos que estão buscando e conseguindo evoluções melhores e superiores em níveis de consciência formada no tripé da ética, da moral, e do amor. Mas caso você sinta que isto não está ocorrendo, que você se esforce para imprimir este ritmo a eles, porque, afinal, você estará fazendo isto para você mesmo de verdade e saberá disto quando se reencontrar com todos os seus irmãos, em breve.

E se sentir que alguns deles estiverem passando momentos muito difíceis se esforce para compreendê-lo e amor, esta energia de poder que emana do Criador possa você aliviar e até superar este momento, não se deixando ser afetado e sucumbir negativamente também.

E mesmo que você sinta que seu irmão monádico é um danado de um “bandido”, um “estuprador”, um ladrão assassino, um político corrupto no Laos, tente se manter cada mais com ética e moral elevada para isto possa ser transmitido a ele como valores superiores, pois, isto estará ajudando a sua própria evolução na próxima vida, tenha certeza disto, posto que ELE É VOCÊ AMANHÃ!

E tenham um bom dia!

Atama Moriya

Home

Anúncios
Esse post foi publicado em Raças, Sementes estelares, Ser Bom é bom para quem?, Sofrimento, texto e marcado , . Guardar link permanente.

Opte por deixar comentários claros, concisos, compreensíveis e racionais. Evite palavrões, palavras ásperas e críticas/ofensas a outras pessoas. Lembre-se que este blog é muito lido por menores de idade. Por favor, deixe bons exemplos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s