PANETAMA (Atama fazendo Panetone)

Gosto de cozinhar, mas não rotineiramente, aliás, como as mulheres sabiamente também não apreciam, pelo menos as que eu conheço. Tudo que é muito rotineiro torna-se mecânico e desta forma perdem a sua graça. Mas assim como na vida, cozinhar mesmo que mecanicamente ganham um outro nível de qualidade quando adicionamos e aqui vai minhas homenagens às mulheres que sabem amar como ninguém, um ingrediente imprescindível ao bom paladar: o amor.
Não me lembro de ter experimentado um prato de comida, por simples que fosse, nas minhas andanças pelo interior, que não apresentasse um sabor especial, um gostinho de quero-mais, aquela comidinha deliciosa, porque foram preparadas por mulheres de vida muito simples, que quando encontram um forasteiro se esmeram no amor e em amor para o seu preparo porque sentem prazer em servir.

Não importava se era frango frito, com a famosa farofa, ou um simples quiabo com carne-seca, todos tinham essa energia chamada amor! Ah! Como estavam deliciosos aqueles almoços e jantares!

Desde então, imitando essas mulheres brasileiras maravilhosas, simplesmente divinas na cozinha (divinas no amor ao “servir”) é que sempre procuro praticar a humildade como exercício diante do meu velho fogão.

Aprendi que o ato de cozinhar não fica tão distante do ato de viver: “tudo fica muito saboroso, divertido e gostoso quando acrescentamos esse ingrediente chamado Amor”.

Sem este ingrediente, baratíssimo, à disposição em qualquer coração, tudo, mas tudo mesmo fica amargo, sem tempero, sem gosto, seja qual for o prato de comida, seja qualquer vida. E verdade seja dita, todos detestam tudo que não tem sabor, não tem vida, não é?

Já faz quatro anos que venho sistematicamente tentando produzir o melhor panetone do mundo, para mim um desafio! Logo todos dirão: “Mas que bobagem, qualquer um sabe fazer panetone!”. Sim, eu direi. Mas eu não sei e não desejo aulas, desejo tentar por mim mesmo, mesmo que erre, vou querer chegar lá, e sozinho!

Assim como na vida, acho que só podemos aprender a andar sozinho caindo várias vezes e sozinho tentando de novo também. E assim justifico a mim mesmo as minhas oitenta tentativas fracassadas do melhor panetone do mundo! Thomas Edison não está sozinho, foi o que descobri após estas tentativas. Então, como ele, também eu me justifico: “Não errei, apenas descobri oitenta formas e fórmulas que não dão certo!”.

Cheguei a improvisar no meu forno um aquecedor com temperatura controlada de 38ºC para manter a massa em temperatura constante durante 24hs, mas mesmo assim o resultado não foi satisfatório, pelo menos para mim: sou o artista deste palco, como todos somos no palco da vida, e sou também meu único e próprio juiz e julgador das minhas ações no palco da minha cozinha que na verdade é nosso próprio palco da vida.

Claro, fui a julgamento intempestivo de todos que conheceram meus experimentos panetonescos e quase se mataram de tanto rir com a minha mini betoneira que improvisei, mas ao invés de ficar chateado com a descrença geral, sei que eu um dia poderei me tornar o “rei do panetone”, por isso escolhi rir também, e assim tornei mais alegre e divertido minhas várias tentativas e os vários resultados não tão satisfatórios.

Embora muitos tenham dito: “Hummmm, já está muito bom!”, eu mesmo sei que tenho condições de melhorar e muito mais, acrescentando mais doses de amor e também experimentando novas fórmulas, receitas, métodos e mais e mais doses de amor!

Pois, assim aprendi na vida: “não há limites de amor”, sempre temos guardado dentro de nós muitos e muitos carvalhos cheios Dele!

Igualmente como cozinhar com amor e fazer panetones de amor para oferecer a todos, igualmente podemos agir em nossas vidas, nos palcos em que dançamos, cantamos, choramos, amamos e cozinhamos.

E no grande palco da vida, certamente a maior lição de todas vem do Cristo que se deixou morrer por amor. Eu acho que com um pouquinho de boa vontade podemos dar continuidade a este amor simplesmente cozinhando para os nossos irmãos, mesmo que às vezes, com pouco sal, outras sem açúcar, outras com muita pimenta, outras com tantas lágrimas que chegam a afogar o panetone; não faz mal, não desista porque tudo que se faz com amor, um dia florescerá como a sua própria receita perfeita de vida e tenham certeza disto como eu tenho certeza que Ele é Pai.

Com muito amor,

AM.

P.S. Nos próximos dias, após muito meditar, descobri uma nova variante no processo e farei em breve a 81a. tentativa.

Home

Anúncios
Esse post foi publicado em Crônicas. Bookmark o link permanente.

2 respostas para PANETAMA (Atama fazendo Panetone)

  1. Alma Peregrina disse:

    Oi… Amado Atama !!!

    Tudo bom?

    Bem, você sabe o que penso do seu Panetone nº 1… né? rs…rs…
    Minha teoria sobre o Panetama…
    Levando em consideranção que o igrediente principal é o Amor… podemos deduzir que o Panetama, já pode ser considerado o nº 1 dos panetones… e existe uma tendencia a ser melhor sempre… uma vez que o Amor não tem medida, e quanto mais se dá, mais se tem… Então Anjo !!! O Panetama deve ser um sucesso !!! (risos)

    Beijokas em seu coração…

  2. Ode disse:

    Atama, chegou a época do panetama!
    Que ele tenha o sabor da dedicação que vc presenteia a todos.
    Tem tb panetone virtual?
    hehehe
    abraços natalinos,
    Ode

Opte por deixar comentários claros, concisos, compreensíveis e racionais. Evite palavrões, palavras ásperas e críticas/ofensas a outras pessoas. Lembre-se que este blog é muito lido por menores de idade. Por favor, deixe bons exemplos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s